domingo, 8 de janeiro de 2012

O leitor

   Ele vivia para os livros. Todos os seus objetivos se concentravam em descobrir uma nova história arrebatadora. A própria vida era irritante, totalmente repulsiva, justamente por não estar escrita.
   Devorara qualquer tipo de livro, dos mais grossos aos mais finos, dos gêneros mais variados. Não se esforçava para fazer amigos, para quê? Os melhores e mais fieis amigos que uma pessoa pode ter são os livros. Fazia somente o necessário para viver, afinal precisava manter o corpo inteiro para os próximos capítulos.
    Quando finalizava uma leitura, ah, o êxtase, mais uma vitória alcançada. Porém, essa sensação não durava muito, e ele logo entrava em desespero, só conseguia se acalmar ao iniciar uma nova trama.
    Alguém se atreve a dizer que ele é infeliz?

2 comentários:

  1. Enquanto ele não achar um companheiro de viagem, seja livro, seja amigo, talvez sim. Imagina quando ele souber da "Clínica Literatura Nunca Mais": http://veja.abril.com.br/blog/todoprosa/sobrescritos/literatura-como-proteger-seu-filho-dessa-droga/
    #lol

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...