terça-feira, 31 de julho de 2012

Jogada Mortal - Harlan Coben

Título: Jogada Mortal
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Ano de lançamento: 2012
Páginas: 255
   Jogada Mortal é o primeiro livro do autor que leio. Tem como protagonista Myron Bolitar, um representante esportivo com uma tendência à detetive. Apesar de não fazer parte de uma série, o autor já lançou várias outras obras com o personagem. Os livros são independentes e não seguem uma sequência.
    Desta vez, Myron investiga o assassinato da jovem Valerie Simpson, ex-tenista. Movido pelo estranho comportamento de Duane Richwood ao ser interrogado pela polícia, Myron se interessa pelo caso. Duane é um tenista em ascensão, o trunfo na agência esportiva de Bolitar. O que esse rapaz poderia esconder? Juntamente com seu amigo Win Lockwood, Bolitar inicia uma busca incansável pela verdade.
    Com a ajuda de uma narrativa objetiva, surpresas e novos segredos a cada página, torna-se impossível parar de ler. Adorei o clima envolvente do livro e a reflexão moral apresentada no fim: os limites entre o bem e o mal.
    Estou lendo Quebra de Confiança, também do autor. Em breve falarei sobre ele em uma nova resenha!


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Presentes da Vida - Emily Giffin

Título: Presentes da Vida
Autor: Emily Giffin
Editora: Novo Conceito
Ano de lançamento: 2012
Páginas: 383
    Quando comecei a ler Presentes da Vida tive a impressão de que já conhecia aquela história. Tentava me lembrar de onde, e, à medida que li o primeiro capítulo, lembrei-me do filme "O noivo da minha melhor amiga". Fui pesquisar e descobri que a autora Emily Giffin na verdade escrevera o livro que deu origem ao filme.
    Como já conhecia a história e a protagonista, Darcy, faz um breve resumo dos acontecimentos que desencadearam o tema de Presentes da Vida, continuei a leitura. Darcy é uma linda mulher que sempre conseguiu tudo o que queria na vida. Após cancelar seu casamento com Dex, descobre que sua melhor amiga Rachel estava tendo um caso com ele. Darcy fica furiosa, mesmo que tivesse cancelado o casamento porque estava apaixonada pelo padrinho e também melhor amigo de Dex. Adoro histórias que são contadas sob perspectivas diferentes e, mesmo não concordando com muitas opiniões e atitudes de Darcy, foi interessante ver o "outro lado da história".
     O começo do livro estava um pouco desgastante. Fiquei brava por Darcy ter atitudes tão infantis e mesquinhas, tive pena porque ela não enxergava a realidade. Mas, depois que ela se muda para Londres, a história fica muito melhor. Ao conviver com Ethan, um amigo de infância, começamos a perceber que Darcy via as consequências de seu comportamento egoísta, de sua irresponsabilidade, começando a pensar em seu futuro.
     As compras exageradas de Darcy me lembraram um pouco a Becky Bloom (outra personagem de uma série de livros muito boa). Quando cheguei ao final, percebi que a autora criou um enredo tão envolvente que eu estava totalmente absorta pela história e torcendo por Darcy. A cada capítulo, prometia que iria ler só mais um.
    Presentes da Vida é um livro sobre como as pessoas podem mudar. Apesar do passado não ter mais volta, nunca é tarde para reconhecer os seus erros e construir um futuro melhor.

Trailer do filme O noivo da minha melhor amiga

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Templos do Conhecimento

   Hoje, apresento para vocês uma nova série do blog Palavra Sonhada: Templos do Conhecimento. Com inspiração no álbum de fotos da página Wanderlust, no Facebook, postarei fotos, um pouco da história e outras curiosidades das mais belas e maiores livrarias e bibliotecas do mundo todo.

1- Selexyz Dominicanen, em Maastricht, Holanda.

   Em uma antiga igreja gótica do século XIII, encontramos hoje a livraria Selexyz Dominicanen, que foi aclamada pelo jornal britânico The Guardian como a livraria mais bela do mundo. A reforma, liderada pela rede holandesa de livrarias Selexyz, restaurou as pinturas e ornamentos, consertou as violações do tempo e adaptou a igreja medieval, um patrimônio cultural, para abrigar um templo do conhecimento.
   Construída por volta de 1260, a partir de 1796 a igreja teve diversos usos que fogem ao convencional, como escola, depósito municipal, estacionamento de bicicletas, local de lutas, entre outros. Mas, após a restauração em 2006, teve um fim realmente nobre com a instalação da Selexyz Domenicanen.







2 - El Ateneo Grand Splendid, em Buenos Aires, Argentina.

   Um antigo teatro abriga hoje uma imensa livraria em Buenos Aires. El Ateneo Grand Splendid foi escolhida pelo jornal britânico The Guardian como a segunda livraria mais bela do mundo. Com 120 mil títulos em estoque, a livraria recebe cerca de 3.000 visitantes por dia e vende 700.000 livros por ano. El Ateneo mantém as estruturas originais do teatro, substituindo apenas as fileiras de poltronas por estantes de livros. Foi construído em 1919 pelo austríaco Max Glucksman. Funcionou também como cinema, sendo um dos primeiros a exibir filmes sonorizados.





 

    Aguardem as próximas postagens da série Templos do Conhecimento!

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Histórias Cruzadas

   O filme Histórias Cruzadas, inspirado no livro A Resposta (em inglês The Help, escrito pela norte-americana Kathryn Stockett) se passa durante os anos 60 no estado do Mississipi, na cidade de Jackson. Alternando entre três histórias, a da jovem Skeeter, uma moça recém-formada na faculdade e com o sonho de ser escritora, e as duas empregadas domésticas Aibileen e Minny, percebemos como o preconceito racial estava descaradamente impregnado na sociedade da época.
    Skeeter, indignada com a forma como as empregadas negras eram tratadas, decide anonimamente escrever um livro contando as experiências e histórias vividas por elas. De forma emocionante, o drama de Histórias Cruzadas nos envolve e faz refletir sobre a falsa sensação de superioridade que corrompe, ainda hoje, os grupos sociais.
   Um filme que, com certeza, deveria ser assistido por todas as pessoas. Recomendo!

quarta-feira, 11 de julho de 2012

A Street Cat Named Bob

   Sem esperanças, James Bowen andava pelas ruas de Londres em um certo dia de 2007 quando encontrou Bob, um gato laranja muito doente. James, um músico de rua que vivia em habitações de apoio, cuidou de Bob com antibióticos e a assistência da RSPCA. Após a recuperação dele, pensou que nunca mais iria vê-lo. Mas, o gato passou a seguí-lo por toda a cidade, fazendo com que os dois se tornassem melhores amigos.
   Com essa amizade, James teve forças para mudar a sua vida. Em seu livro, que foi publicado recentemente e ainda não tem tradução no Brasil, são narradas as aventuras e histórias vividas pelos dois. A Street Cat Named Bob: How One Man and His Cat Found Hope on the Streets em português: Um gato de rua chamado Bob: Como Um Homem e seu gato encontraram esperança nas ruas promete ser uma leitura emocionante e agradável!
    Para quem deseja acompanhar o dia a dia da dupla, siga o twitter @StreetCatBob.





terça-feira, 10 de julho de 2012

A princesa de gelo - Camilla Läckberg

Título: A princesa de gelo
Autor: Camilla Läckberg
Editora: Planeta 
Ano de lançamento: 2010
Páginas: 365
   Um livro maravilhoso: prende a atenção do começo ao fim. Comecei a lê-lo sem saber nada da história, apenas o comprei pois uma amiga disse que era muito bom. Não me arrependi! Princesa de Gelo entrou para a minha lista de livros favoritos.
   Não tenho o costume de ler livros policiais, mas, recentemente fiquei curiosa pelo gênero e resolvi experimentar. Considerada a nova Agatha Christie, a sueca Camilla Läckberg criou uma trama misteriosa e que não perdeu a força ao longo da história, sem deixar de lado o romance entre os personagens. 
   Erica Falck é uma biógrafa que voltou para a pequena cidade de Fjällbacka (como será a pronúncia desses nomes suecos?) para cuidar dos pertences de seus falecidos pais. Porém, ao encontrar o corpo de uma velha amiga de infância, Erica se envolve em antigos segredos. É difícil escrever sobre a história sem revelar algum detalhe importante. Prefiro deixar que os futuros leitores descubram sozinhos: surpreendam-se!
   Encontrei alguns erros gramaticais na 2ª edição. Ao ler comentários pela internet, percebi que os leitores se queixaram muito da falta de revisão na 1ª edição de A Princesa de Gelo. É uma pena! Mas, de forma alguma a fluência do livro foi afetada por esses desvios.

domingo, 8 de julho de 2012

Desafio Literário dos 60 dias

   Semana passada recebi a atualização de uma amiga no Facebook com o Desafio Literário dos 60 dias. Fiquei curiosa e visitei a página. Conclusão: aderi também!
   A ideia é que em cada dia você aponte um livro que já leu ou pretende ler, conforme a proposta da lista. Eu estou no 5º dia. Acompanhem as minhas indicações na página do blog. É sempre bom relembrar os livros que já lemos. Adoraria ver os livros escolhidos por vocês!



A seguir, as propostas para os 60 dias:

1. O primeiro livro com mais de 100 páginas que você leu.
2. Um livro que você jamais lerá de novo.
3. Um livro que você não consegue terminar de ler.
4. Um livro que você tenha lido 3 vezes ou mais.
5. Um livro que você recomenda.
6. Um livro que te faz chorar.
7. O melhor livro do seu autor preferido.
8. Um livro nacional que você goste.
9. O último livro que você leu ou está lendo.
10. Um livro que você ama.
11. O livro que você mais gosta de uma série.
12. Um livro com mais de 500 páginas.
13. Um livro que você considera clássico.
14. Um livro com o qual você se identifica.
15. Um livro para refletir.
16. Um livro para ler nas férias.
17. Um livro que te faz rir.
18. Um livro nacional que você não goste.
19. Um livro que você leu e é pouco conhecido.
20. Um livro que dá medo.
21. Um livro que você não gosta do título.
22. Um livro que você só leu por causa do título.
23. Um livro que você leu rápido.
24. Um livro que você demorou pra ler.
25. Um livro que você pegou emprestado de alguém.
26. O primeiro livro que vier na sua cabeça.
27. Um livro que você e seus pais tenham lido.
28. Um livro que você tem vontade de ler de novo.
29. Um livro que você pegou na biblioteca da sua escola.
30. Um livro que seu professor (a) pediu (mandou) ler e você gostou.
31. Um livro que seu professor (a) pediu (mandou) ler e você não gostou.
32. Um livro que o personagem principal morre.
33. Um livro que os personagens têm nome estranho.
34. Um livro difícil de ler.
35. Um livro que você quer muito ler.
36. Um livro de aventura.
37. Um livro que marcou sua infância/adolescência.
38. Um livro com ilustrações.
39. Um livro famoso.
40. Um livro de mistérios.
41. Um livro que te traga boas lembranças.
42. Um livro em que a personagem principal seja uma mulher.
43. Um livro que você mudaria o final.
44. Um livro em que o narrador faz parte da história.
45. Um livro que você gostaria que fosse realidade.
46. Um livro baseado em fatos reais.
47. Um livro de pura ficção.
48. Algum livro de um autor que você não gosta.
49. A melhor saga de livros.
50. Um livro complexo.
51. Um livro que tenham te contado o final antes de você acabar de ler.
52. Um livro que você ganhou de alguém.
53. Um livro que você deu para alguém.
54. Um livro cujo personagem você admira e o por quê.
55. Um livro que lhe ensinou algo.
56. Um livro que virou filme.
57. Um livro chato, chato, chato.
58. Um livro de auto-ajuda.
59. Um livro que te faz “viajar”.
60. Um livro que você gostaria de ser um dos personagens.

Ex-libris - Anne Fadiman

Ex-libris ("livro de" ou "da biblioteca de") é uma expressão latina utilizada geralmente nas folhas de rosto ou contracapas de livros, que indica a quem pertencem.
Título: Ex-Libris - Confissões de uma leitora comum
Autor: Anne Fadiman
Editora: Jorge Zahar
Ano de lançamento: 2002
Páginas: 162

   Ex-libris - Confissões de uma leitora comum é um livro sobre livros. Demonstrando uma verdadeira paixão pela leitura, Anne Fadiman conta suas experiências literárias, que se misturam e são parte de sua vida constantemente. 
   Uma leitora não tão comum assim, Anne é filha de escritores e casada com George Howe Colt, também escritor. Juntamente com seu irmão Kim, desde pequenos desenvolveram o gosto e o amor pela leitura. Agora, assiste o despertar de seus filhos para um caminho semelhante.
    O livro é composto de pequenos ensaios, narrando diferentes episódios de sua trajetória, sem seguir uma sequência linear. Com algumas passagens curiosas, é muito divertido conhecer os hábitos e histórias de outros leitores. Porém, o que me incomodou muito no livro foram as constantes citações a outros escritores, livros, editores, revistas, lugares e livrarias. Todos esses nomes tornam a narração confusa e sem sentido para o leitor que os desconhece, tornando a leitura um pouco entediante.
    Terminei a leitura com vontade de ter um carimbo Ex-libris para os meus livros. E vocês?

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Correio Feminino - Clarice Lispector

Título: Correio Feminino
Autor: Clarice Lispector
Editora: Rocco
Ano de lançamento: 2006
Páginas: 158
   Correio Feminino talvez seja um livro inédito para muitos leitores assíduos de Clarice. É uma coletânea de textos que foram publicados em revistas, periódicos e jornais. Sob os nomes de Tereza Quadros, Helen Palmer e Ilka Soares, Clarice Lispector atuou como ghost-writer na imprensa brasileira, temendo que os assuntos mais triviais prejudicassem a sua carreira como escritora.
   Conhecemos um outro lado de Clarice: uma mulher que se preocupa com beleza, comportamento, casa, homens e seu papel na sociedade. Apesar dos textos se apresentarem em uma linguagem clara e e simples, distantes das "tradicionais" crônicas e contos da autora, ainda podemos notar um toque de seu humor ácido e realista.
   Em um tom de conversa com a leitora, Clarice incentiva várias vezes que as mulheres não percam a feminilidade, a beleza, a sedução, mas também não devem ser fúteis e desocupadas. Coloca a mulher em um papel de constante conquista de seus maridos e pretendentes, como se nunca pudessem descansar da árdua tarefa. Tive a impressão de que a mulher perfeita para Clarice é a que se desdobra em várias, nunca descansa de suas diversas missões, uma mulher com múltiplas faces e talentos.
   Um livro para quem deseja descobrir uma nova face dessa escritora tão querida. Os conselhos em si não pesam tanto para o valor da obra, apesar de refletirem os valores da época. Correio Feminino se apresenta como o prazer de conhecer Clarice Lispector sob outro ângulo.



segunda-feira, 2 de julho de 2012

Devaneios

O relógio movia-se vagarosamente. Lá fora brilhavam os raios de sol. Aqui, nesse sofá, brilhavam os olhos de Fernanda. Convencionalmente, quando falamos de um olhar brilhante, fica-se a ideia de alegria, entusiasmo, de uma postura contente diante do momento. Mas para Fernanda, não era nada disso. Em momentos tão tediosos que beiravam a melancolia, os olhos da garota brilhavam ávidos por uma aventura.
                Em seu colo jazia um caderno aberto. As linhas da folha em branco se moviam em uma ilusão de ótica. Com um lápis quase sem ponta, começou a rabiscar. Pouco a pouco, o conjunto de retas tornou-se um cenário para outro mundo: surgiram montes e rios, faunos e ninfas, animais, florestas e vilas. Seres etéreos vagavam por bosques desconhecidos. Totalmente absorta Fernanda esqueceu onde estava, o que estava fazendo e até mesmo quem era. Já não existia alguém com nome tão incomum, na terra onde estava era uma princesa que por muitos anos morara em reinos longínquos.
                Depois de encontrar-se com vários conhecidos e amigos, lembrou-se de onde estava. Era a famosa Suécia, reino fantástico e oculto de estilo medieval. Sua memória anterior, talvez até de outra existência, foi se perdendo. Contudo, já não era mais importante para a vida que teria agora. Quanto tempo se passara? Minutos, horas, ou quem sabe dias. O tempo não era contado com precisão.
                Ali, aventuras eram parte do cotidiano. Sempre se podia escolher qual seria a próxima jornada. Vivia-se como nas histórias, regadas de emoção e acontecimentos. Ela, a garota-princesa, estava se preparando para partir em busca de um tesouro que finalmente possibilitaria a confirmação de seu papel como sucessora do trono, quando sentiu que a Suécia estava desvanecendo. Como quem sai de um transe hipnótico, ouviu sua mãe chamá-la para o lanche.
                O mundo que fora construído mentalmente ruiu-se em questão de segundos. Voltando ao mundo real, levantou-se e dirigiu-se para a mesa da cozinha.

domingo, 1 de julho de 2012

O hipnotista - Lars Kepler

Título: O Hipnotista
Autor: Lars Kepler
Editora: Intrínseca
Ano de lançamento: 2011
Páginas: 477
   O Hipnotista conseguiu me tirar o sono. Um mistério desconcertante é apresentado logo nas primeiras páginas: um homem, sua esposa e a filha foram assassinados brutalmente, deixando apenas o filho de 15 anos como sobrevivente. Como em todo livro policial, Joona Linna é o bem-sucedido detetive que sempre tem os palpites certos. Temendo se tratar de um serial killer, ele recorre ao psiquiatra Erik Maria Bark para hipnotizar Josef, o garoto que sobreviveu, e tentar descobrir algumas pistas de quem poderia ter cometido tal crime.
   Inicialmente Erik reluta em aceitar o pedido, pois prometeu nunca mais usar a hipnose. Mas, preocupado com a filha mais velha do casal assassinado, acaba cedendo. A partir desse dia, sua vida se torna novamente complicada, e problemas do passado voltam à tona, prejudicando sua família.
   Nos primeiros capítulos, tive a impressão de que o foco principal do livro seria o caso de Josef e o homicídio triplo, investigado pelo detetive Joona. Mas, concordando com o título, Erik ganha um grande papel na história, que é totalmente influenciada por seu passado conturbado pelos pacientes.
   Em uma parte da história, conhecemos o passado de Erik e seu relacionamento com os pacientes de seu grupo de hipnose. É surpreendente perceber a que ponto simples gestos e palavras podem se tornar ameaças e problemas muito maiores para pessoas desequilibradas mentalmente. O Hipnotista tem um toque psicológico, mostrando levemente a errônea linha de raciocínio dos criminosos, os conflitos internos de uma mente perturbada. Outro ponto que eu notei foi o poder da mídia de rapidamente elevar ou arruinar a carreira e a vida pessoal de alguém, baseada em evidências verdadeiras ou não.
    Recomendo a todos que gostam do gênero: O Hipnotista é eletrizante, uma leitura rápida e que com certeza deixará uma forte marca na mente dos leitores.

Lars Kepler na verdade é o pseudônimo usado pelo casal Alexandra e Alexander Ahndoril, que moram na Suécia.