terça-feira, 23 de julho de 2013

A exceção - Christian Jungersen

     A exceção é uma história impactante. Apesar de ter sido um sucesso na Europa, o livro não teve grande divulgação no Brasil. O escritório onde trabalham quatro mulheres é cenário para uma análise aprofundada da maldade humana e as subversões da mente.
     O "Centro de Desenvolvimento de Informações sobre Genocídios" tem como funcionárias Malene, gerente de projetos; Iben, analista de informações; Camilla, secretária e Anne-Lise, bibliotecária. Paul, o chefe, é um homem controlador e está sempre ausente do escritório. Enquanto realizam pesquisas e exposições sobre os diversos genocídios ocorridos na história da humanidade, Anne-Lise é excluída do grupo principal de trabalho, formado pelas outras mulheres, e é constantemente alvo de piadas e bullying. No entanto, Malene, Iben e Camilla juram que não fazem nada à bibliotecária, dizendo que todas essas reclamações são fruto de uma mente paranoica.
Título: A exceção
Autor: Christian Jungersen
Editora: Intrínseca
Ano de lançamento: 2008
Páginas: 560
     Após receberem ameaças por email, Malene e Iben intensificam a rixa contra Anne-Lise, sugerindo que ela é a culpada. Inicia-se um jogo de influências e manipulação dentro do Centro. Enquanto a história prossegue, lemos textos jornalísticos de Iben sobre a Psicologia do Mal.
     Com um desfecho chocante, mas condizente com as ideias explanadas ao longo da história, a visão que temos da humanidade sofre total mudança. Ao discutir a maldade e a bondade, o livro nos lembra que cada um tem dentro de si os dois lados. Conhecemos também os mecanismos da mente humana ao cometer maldades.
     Apesar dos genocídios mais famosos parecerem distantes da realidade atual, a complexa trama de A exceção mostra que para uma pessoa comum, aparentemente boa, tornar-se cruel basta um passo. Um indivíduo mau não tem um comportamento totalmente cruel e estereotipado como nos filmes. Os oficiais nazistas, por exemplo, eram pessoas sensíveis e afetivas quando estavam em casa, com suas famílias.
    Ao final da leitura, percebemos que cada um tem algo a esconder, histórias e sentimentos que se viesse, a público corromperiam suas imagens. O livro de Jungersen expõe a decadência humana e ainda revela que a bondade não é comum, é a exceção.

6 comentários:

  1. Já queria ler este livro, agora eu TENHO que comprá-lo *-*

    Beijos,
    bookandteas.blogspot.com.br/ (comenta lá)

    ResponderExcluir
  2. Preciso realmente de tempo para lê-lo. Já faz um dois anos que comprei ele e sempre acabo deixando para depois :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei na Bienal do ano passado, sem muitas esperanças, mas realmente me surpreendeu!

      Excluir
  3. Olá, conhecendo o seu espaço e por sinal gostando muito.
    Sobre o livro, quando o comprei na Bienal de SP, não sabia nada a respeito da história, apenas aquilo escrito na sinopse me interesse, mas até agora não consegui tirá-lo da estante, são tantos livros que alguns acabam ficando esquecidos, após sua resenha fiquei mais instigado a lê-lo, do final do ano não passa. =D Valeu pela dica, foi bom ter a opinião de alguém.
    Abraço,
    David.H.S
    livrosemaisseries.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada David! Fique à vontade!
      Eu também comprei este livro na Bienal de SP, ano passado. Estava em promoção na editora Intrínseca. Nunca tinha ouvido falar sobre ele, mas parecia ser muito bom! Não me arrependi!
      Abraços.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...